Portal do Vale Tudo

Com casa cheia, campeões mantêm cinturões e Jungle Fight 100 consagra um novo rei da selva

por: PVT | @portaldovt
em 29 de dezembro de 2019

Prefeito de Manaus, o faixa-vermelha de Jiu-Jitsu Arthur Virgilio colocou o cinturão em Klinger – Foto: Leonardo Fabri

A histórica edição centenária do Jungle Fight, que marcou o seu retorno a Manaus, contou com um show de nocautes e finalizações. Assim como aconteceu na primeira edição, em 2003, apenas uma luta foi parar nas mãos dos juízes. E, assim como há 16 anos, a luta principal terminou com um nocaute no primeiro round. Com três disputas de cinturão, o Jungle Fight 100, realizado na noite de sábado, (28) na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira, consagrou um novo rei da selva. Na luta principal, Klinger “Do Boxe” Pinheiro, que estava no card preliminar e acabou recebendo a chance de lutar pelo cinturão até 61kg, fez jus ao apelido e mandou o mexicano José Antonio Rodríguez à lona em apenas 41 segundos de luta para se tornar o mais novo campeão do evento.

“Treino desde os 14 anos, comecei em um projeto social. Venho ralando bastante e o Boxe não me deixou seguir um caminho ruim. O meu bairro, Matinha, e agora Campos Sales, onde eu moro atualmente, são muito perigosos, mas eu levo no coração os dois bairros. Se um dia eu lutar lá fora, vou levar esses dois nomes, assim como o José Aldo levou a Alvorada, eu vou levar Matinha e Campos Sales”, disse Klinger, abraçado com seus dois filhos.

O evento contou ainda com outras duas disputas de cinturão. No co-main event, a campeã Natália Silva fez a sua primeira defesa de título e mostrou muita habilidade na luta em pé, com ótimas combinações. Ela dominou a luta contra a desafiante Joice Mara “Menina de Ouro” e, no quarto round, a mineira de Pingo D’água mostrou também que está com o chão em dia. Após conseguir a queda, Natália encaixou um arm-lock que definou o combate.

Na disputa de cinturão até 77kg, o campeão Willker “Feijão” Lemos também fez a sua primeira defesa de título e, depois de quase ser finalizado com um mata-leão no primeiro round pelo desafiante Alessandro Gambulino, ele voltou para o segundo round decidido a terminar a luta. Depois de conseguir a queda, trabalhou por cima com as cotoveladas até a interrupção do árbitro.

Vale destacar ainda a atuação do sergipano Willian “Colorado”, que teve uma atuação perfeita e chegou a sua nona vitória seguida em dez lutas ao vencer Geberson Coutinho por nocaute técnico (interrupção médica) no primeiro round. Outro que brilhou foi o jovem de apenas 17 anos Rodrigo “Muralha” de Moura, que finalizou Davi Black com uma chave de braço no primeiro round.

“Estou muito feliz de trazer a histórica centésima edição a Manaus. Foi o prefeito faixa-vermelha Arthur Virgílio Neto que teve a coragem de trazer o Jungle Fight de volta depois de 13 anos fora. E ele prometeu trazer novamente em março, transformando mais uma vez Manaus na capital Brasileira do MMA”, disse Wallid Ismail, presidente do Jungle Fight.

Confira abaixo os resultados completos do Jungle Fight 100.

Jungle Fight no DAZN 100

Manaus, no Amazonas

Sábado, 28 de dezembro de 2019

Cinturão até 61kg

– Klinger “Do Boxe” Pinheiro (MPBJJ/ Nova União) venceu José Antonio Rodríguez Serrano (Cleber BJJ MMA) por nocaute no 1R;

Cinturão feminino até 57kg

– Natália Silva (Team Borracha) finalizou Joice Mara (PRVT) com arm-lock no 4R;

Cinturão até 77kg

– Willker “Feijão” Lemos (Team Nogueira) venceu Alessandro Junior “Gambulino” (Gordin Fight Team) por nocaute técnico (interrupção do árbitro) no 2R;

Outras lutas

57kg – Alexsandro Praia de Lima (Renovação Coari Team) venceu Matheus “Calabresa” (Chute Boxe Bauru) por nocaute técnico (interrupção médica) no 1R;

66kg – Willian “Colorado” (Dimitry Fight Center/ Team Alpha) venceu Geberson Coutinho (Clube Legião da Luta) por nocaute técnico (interrupção médica) no 1R;

66kg – Leandro “Cacique” Pereira (Carioca Team) finalizou Arthur Martins de Castro (Carmem Casca Grossa/ CT JAPA) com uma chave de braço de dentro do triângulo no 1R;

57kg – Rodrigo “Muralha” de Moura (Nock Down Team/ Team Xisto) finalizou Davi Black (Power Kick/Team Alpha) com uma chave de braço no 1R;

66kg – Max Douglas “Fúria” (SD System/ Checkmat) venceu Leandro Oliveira (Chute Boxe Acre) na decisão dividida dos juízes;

77kg – Anderson “Astro da Maldade” (Dymitry Fight Center) venceu Ronildo Cabral (THF Team) por nocaute técnico no 2R;

61kg – Eli Jones “Lorinho” da Silva (THF Team) venceu Breno Sombra (Tubarão Fight) por nocaute técnico (desistência) no 2R;

57kg – Ruan “Hunter” (Renovação Coari Team) x Raison “Moicano” (CT Vasconcelos) por nocaute técnico (desistência) no 1R;

61kg – Maurício Freire de Almeida (Deo Academy) finalizou  Aluizio “Samurai” Cavalcante (Team Soares) com um mata-leão no 1R.