Portal do Vale Tudo

Patricky Pitbull revela que lutou final do GP do Rizin com a mão quebrada e espera ter revanche no cage do Bellator

por: PVT | @portaldovt
em 13 de janeiro de 2020

Foto: divulgação Rizin FFA virada de ano não foi como Patricky Pitbull havia planejado. No dia 31 de dezembro ele se preparou para fazer duas lutas na mesma noite no torneio dos leves do Rizin FF, realizado em Tóquio, no Japão, e esperava sair vencedor. A caminhada começou muito bem com uma vitória arrasadora em apenas 28 segundos sobre o compatriota Luiz Gustavo Killer na semifinal do GP. Apesar da rápida vitória, o potiguar acabou quebrando a mão direita, a mesma que ele havia machucado em fevereiro e que acabou resultando em uma cirugia (realizada em abril de 2019). Mesmo lesionado, Patricky foi para a final e fez luta dura contra Tofiq Musayev, mas acabou derrotado na decisão unânime dos juízes após três rounds de cinco minutos. Durante o combate, o brasileiro ainda caiu do ringue e lesionou o ombro e a perna direita.

“Lutei na raça, na vontade. Quebrei a mão direita, a mesma que eu tinha feito uma cirurgia. Mas não seria isso que iria me parar. Sempre tive o sonho de lutar duas vezes na mesma noite. Eu trabalhei pra isso. Trabalhei a minha cabeça para fazer a segunda luta mesmo que estivesse sangrando, com um olho fechado ou coisa do tipo. Apesar da primeira luta ter sido muito rápida, eu acabei quebrando a mão. Infelizmente não venci o GP, mas foi uma luta muito dura, de igual para igual. Fiquei satisfeito com o meu desempenho dadas as circunstâncias”, disse o casca-grossa.

Patricky foi para a final sem tirar a atadura para a mão não ficar inchada e em nenhum momento pensou em desistir do combate. Após fazer três rounds duríssimos, ele tirou a atadura e foi ver um médico, que constatou uma fratura na mão direita. A lesão foi menos grave do que a primeira vez, e a princípio Patricky não precisará passar por cirurgia.

“Em nenhum momento eu pensei em desistir. Se isso passasse pela minha cabeça, era melhor nem ter entrado no ringue. Entrar pensando assim é pensamento de derrotado. Eu entrei com o pensamento de que poderia vencer a luta e superar a lesão. Agora vou descansar para me recuperar. O médico me pediu um mês de descanso. Não vou precisar passar por uma nova cirurgia, graças a Deus. Mas não posso levantar peso e muito menos treinar. É só descanso”, explicou.

O momento é de recuperação, mas Patricky já está ansioso para voltar aos cages. E em seus planos está uma revanche contra Tofiq Musayev. O combate entre os dois aconteceu em um ringue (similar ao de Boxe), e, em uma eventual revanche, Patricky gostaria que acontecesse em um cage, onde acredita levar vantagem.

“Eu penso em fazer uma revanche com ele, mas dessa vez uma luta no cage. No cage sou mais acostumado e acredito que eu leve vantagem em algumas questões da grade. Nas cordas do ringue fica um pouco mais difícil trabalhar a parte de Westling, de grade, e eu acho que eu levaria um pouco mais de vantagem nesse tipo de jogo se o combate acontecesse no cage. Mas agora é me recuperar e em seguida ver o que o Bellator está planejando pra mim”, concluiu.